No martini, no party
No martini, no party



I am so lucky I found you, it is a miracle.
Trezentos e sessenta e cinco dias contigo, nunca sem ti.

"Parei para pensar. Pensei em ti e apercebi-me de que foram trezentos e sessenta e cinco dias sempre contigo, nunca sem ti. Trezentos e sessenta e cinco dias em que adormeci e acordei contigo no meu pensamento, umas vezes ao teu lado, outras bastante longe de ti. Trezentos e sessenta e cinco dias em que provei o frio e o calor do teu corpo, em que satisfizemos os nossos desejos mutuamente e amamos sem limites e comandados pelo prazer. Foram trezentos e sessenta e cinco dias em que te idolatrei e vi em ti um exemplo a seguir, um exemplo de vida e de perfeição.

Foram trezentos e sessenta e cinco dias de tu e eu, a apelidar de “nossos” todos os lugares por onde passávamos e onde deixávamos uma amostra do nosso amor; em que te vi dormir, acordar, sorrir e chorar. Trezentos e sessenta e cinco dias de beijos suaves, intensos, longos ou curtos; de abraços apertados e de medo de perder. Trezentos e sessenta e cinco dias de ciúmes e inseguranças. Trezentos e sessenta e cinco dias em que após uma discussão éramos abordados por uma onda de amor que curava todas as feridas que no momento anterior criámos. Trezentos e sessenta e cinco dias em que partilhamos tudo o que a vida nos dava, em que nos ríamos de tudo, em que para nós tudo fazia sentido. Trezentos e sessenta e cinco dias em que trocámos as mais belas palavras de se dizer e ouvir enquanto fazíamos amor. Trezentos e sessenta e cinco dias em que te pertenci totalmente, ou melhor, em que nos pertencemos mutuamente e totalmente. Trezentos e sessenta e cinco dias em que tentei perceber as tuas angústias e dores, para te ajudar a curá-las, da mesma maneira que assisti às tuas vitórias, aplaudindo-as e transbordando ânimo e orgulho. Trezentos e sessenta e cinco dias a amar cada detalhe teu, a respeitar-te e a esforçar-me por mostrar-te sempre quão felizes podemos ser, se permanecermos de mãos e corações dados.

Felizmente, menos foram os dias em que o nosso feitio resmungão mas adorável, ou até mesmo determinados contratempos ditos vulgares e aceitáveis, nos separou. E bastava um dia longe de ti para o sabor da vida já não ser o mesmo.

Eu, tu e o mundo em constante sintonia. Nós ainda aqui estamos, trezentos e sessenta e cinco dias depois, juntos como sempre. Juntos para sempre. Foram trezentos e sessenta e cinco dias em que tudo mudou e nada nos mudou. Trezentos e sessenta e cinco dias em que desaprendi tanta coisa, meu amor. Menos a amar-te.”

Maria Moreira, 20-07-2014.


Anónimo asked:

Espero que estejas bem, boa sorte daqui para a frente ..

Podes dizer-me quem és? E boa sorte para quê?



Just know that I love you. I love you with all of my fucked up, piece of shit heart.
- 2:15 am (via we-are-the-reckless-youthhhh)

(via who-am-i-tho)